segunda-feira, 12 de maio de 2014

Mercado local é promissor, diz Master of Wine brasileiro

O Brasil é um mercado promissor para vinhos. Para conquistar os consumidores internacionais a principal arma do país é o espumante. A opinião foi dada por Dirceu Vianna Júnior, único Master of Wine do Brasil, em entrevista exclusiva ao Casa com Vinho.
Para o especialista o mercado brasileiro ainda precisa ser explorado, mas tanto o consumo interno quanto a expansão internacional irão depender de diversos fatores.
Internamente é necessário melhorar a qualidade da produção nacional, bem como diminuir o preconceito em relação ao produto local, explica.
Segundo o entrevistado, o primeiro passo é descomplicar o assunto para que mais leigos se interessem pelo vinho. Reduzir os impostos pode facilitar o acesso à bebida. Também é possível estimular o consumo em detrimento de outras bebidas alcoólicas por se tratar de uma opção mais saudável, como fez o governo Chinês.
Em relação ao mercado internacional, ele acredita haver diversas ações implementadas por outros países e que devem ser aplicadas no Brasil para a obtenção de êxito. Entre elas a constituição de entidades para a divulgação internacional nos moldes das existentes no Chile, na Argentina e em Portugal.
      
Master of Wine: Dirceu Vianna Junior dedicou 7 anos de estudos, degustações e viagens para a obtenção do título.
Localizado em Londres, o Institute of Masters of Wine é uma das instituições mais importantes e reconhecidas para o estudo de vinhos. De 80 alunos vindos por ano de diversos países, apenas 5% saem com o título.
Quem quiser adentrar a esse reduzido rol deve começar estudando na Wset (Wine and Spirits Education Trust) 1, 2 e 3 no Brasil e depois partir para a Inglaterra a fim de realizar o nível 4 em diante.
Mas antes de perseguir o objetivo, é necessário muito conhecimento. Para Vianna o estudante brasileiro tem uma vantagem sobre o Europeu, por exemplo, pois cria o hábito de degustar bebidas de diversos países e não apenas de uma região.
       Aos que enveredarem por esse caminho, o entrevistado recomenda a leitura de livros com noções básicas: como degustar, como fazer harmonizações, etc. Um bom livro para iniciar os estudos de forma descomplicada e fácil é o “Conheça Vinhos” da Editora Senac, escrito pelo especialista em parceria com e José Ivan Santos.
Outras opção são ‘The Art and Science of Wine’ escrito por Hugh Johnson e James Halliday. E o Oxford Companion.