quarta-feira, 21 de maio de 2014

Nono Dia em Portugal 29_01_14

No meu nono dia em Portugal tive uma experiência incrível, conheci uma parreira em um local que não parece ser possível existir plantação de uva, daqui a pouco colocarei a foto para entenderem.

Para fazer as visitas na região de Lisboa, a Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa -
Rua Cândido dos Reis, nº1 - Telef: (+351) 261 316 724, me ajudou a marcar as visitas e também reservou um hotel incrível, com um preço excelente.

Fiquei hospedada no Dolce Camporeal Lisbon - Hotels and Resorts (+351) 261 960 900, é um hotel um pouco afastado do centro, mas perto da estrada.

Essa é a vista da sacada do meu quarto



O hotel conta com piscina, golf, e muitas outras atividades. Vale a pena conhecer...

Enquanto eu esperava começou a chover granizo, nunca tinha visto uma chuva assim no inverno aqui no Brasil...



O moço da recepção me achou doida, fui tirar foto da chuva, e era uma porta automática que não fechava mais. Geralmente aqui o granizo acontece quando está muito calor, a chuva lá foi como a de verão, forte e rápida, mas era inverno.

Para a primeira visita fomos encontrar o enólogo Rui Freire - da Casca Wines, o Rui foi nos levar à vinha, levamos quase 40 minutos para encontrá-la... Na foto vocês entenderão...




 Essa é a parreira, claro que no inverno ela não produz uva...


Essa é uma areia igual de praia, o mar está bem próximo. Esse bambu é para conter o vento, que é imenso, e quando está produzindo as uvas são levantadas para não encostarem no chão e não apodrecerem (esse é um sistema antigo de produção).
Essas são parreiras centenárias pois na época em que a Filoxera devastou quase toda a região vinífera de Portugal e da Europa, essa região não foi atingida pelo tipo de terra e de terreno, a areia, que pela raiz ser bem profunda, chegando até as rochas, a Filoxera não consegue atacar.

A Casca Wines foi criada por dois amigos enólogos, intitulado: Projeto dos "Sem Terra". Eles resolveram criar uma marca e fazer vinhos em várias regiões de Portugal, com o mesmo nome. Na Revista de Vinhos vocês podem ver uma matéria sobre eles. Os vinhos vocês encontram na Tambuladeira.

Saindo de lá fomos para outra vinícola que me surpreendeu por dois motivos: o tamanho da produção e um Brasileiro me recebeu, o Rodrigo, é responsável pelo comercial e filho da dona da vinícola.
Caves Vidigal - (+351) 244 819 480. 
Nunca imaginei encontrar brasileiros produzindo vinhos em Portugal, foi inusitado.





Olhem o tamanho dos tanques...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe, comente, envie suas dúvidas ou dicas, sinta-se em Casa...