quinta-feira, 29 de maio de 2014

Fotos do meu Décimo dia em Portugal - 30_01_14

Fiz um vídeo do meu décimo dia em Portugal, começou muito bem, visitando uma pastelaria deliciosa, a vitrine dá vontade de comer...


Além disso fui à um museu do vinho, à Quinta do Pinto, à Chocapalha...

Guia Michelin no Brasil, em breve...

O Guia Michelin foi criado em 1900 por André e Édouard Michelin (fundadores da empresa). Seu objetivo era orientar pessoas a encontrarem bons alojamentos e restaurantes na França.
O objetivo do guia é orientar viajantes para viagens à passeio ou à trabalho, se deslocando com facilidade.


A intenção era promover o turismo para o mercado automobilístico. Está presente em quase todos os países da Europa, e em vários países do mundo.
É um importante guia, uma referência, para quem quer conhecer restaurantes com comida e atendimento excepcionais, muito sério e reconhecido mundialmente.
Na verdade quando pensamos em restaurantes estrelados não se espera apenas uma excelente comida e atendimento, mas viver uma experiência gastronômica.
Para conseguir credibilidade os avaliadores são anônimos, além disso, os restaurantes estrelados tem que manter sua qualidade para não perderem sua estrela.
São locais em que a fila de espera para um jantar pode demorar anos.
Em 2015 São Paulo e Rio de Janeiro também terão seus restaurantes estrelados, inspetores profissionais e anônimos já estão indo aos restaurantes para selecionar os restaurantes estrelados do Brasil.




Bacalhau à Braz ou Carne à Braz - Receita original portuguesa

No começo do ano estive visitando a região do Douro em Portugal e fui até a Niepoort, uma vinícola familiar e moderna. Os vinhos podem ser encontrados na Mistral.
Fui recebida de maneira encantadora pela Gabriela Santos, em breve colocarei minha visita aqui.
O que achei muito interessante é que a Maria José (a responsável pela cozinha), nos serviu uma Carne à Braz.
Achei muito interessante, eu conhecia o Bacalhau à Braz, mas ainda não tinha experimentado a carne.




A Gabriela me passou a receita do bacalhau, mas colocarei aqui as opções com carne...

BACALHAU À BRÁS
É um bacalhau desfiado feito numa frigideira com batata frita e cebola envolvido em ovo.

Ingredientes
·     600 g bacalhau demolhado ou (carne de boi, de porco ou frango cozido e desfiado)
·     1 kg batatas
·     3 cebolas
·     2 dentes alho
·     6 ovos
·     2 xícaras de azeite
·     q.b. salsa picada
·     q.b. sal e pimenta
·     q.b. azeitonas pretas

Preparo:
·         Escalde o bacalhau (APENAS ESCALDAR), tire-lhe a pele e as espinhas. Coloque o bacalhau dentro de um pano e esfregue para o desfiar muito bem. Se utilizar carnes, cozinhe em um caldo de legumes ou aproveite carnes cozidas e desfiadas que sobraram.
·         Descasque as batatas e corte-as em palha e frite-as em óleo, escorra sobre papel absorvente e guarde.
·         Pique os alhos, corte as cebolas em meias luas finas e refogue-as no azeite, retirando-as com uma espátula quando ficarem translúcidas. No mesmo azeite frite o bacalhau até ficar um pouco rijo. Depois misture tudo muito bem e retire do lume.
·         Bata os ovos temperando-os com sal e pimenta e junte-os ao preparado. Volte a levar ao lume, mexendo constantemente com uma espátula até os ovos coagularem, mas de modo a ficarem macios.
·         Sirva de imediato numa travessa aquecida, polvilhando com a salsa picada e decorando com azeitonas.

Fizemos a harmonização com o Redoma Branco (Uma outra harmonização com esse vinho nesse link).
Ficou uma delícia. Aliás essa é outra sugestão de vinho para a receita de Bacalhau à Braz que postei outro dia...

Experimente...

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Décimo dia em Portugal - 30_01_14, com algumas novidades... Vejam os doces...

Meu décimo dia em Portugal começou muito bem, eu e o Victor fomos à uma Pastelaria...
Vocês acham que comemos pastel? Sim, Pastel de Belém, e outras delícias da doçaria portuguesa...




 Eu tinha que fotografar as vitrines, sabe criança em loja de doce? Me senti da mesma forma...


No Google encontramos o endereço: Solar de Bucelas, muito boa, vale a pena conhecer... R. Marquês de Pombal, 9.

Saindo de lá fui à Enoport, uma grande empresa que produz e distribui vinhos, eles tem várias marcas emblemáticas como as Caves Velhas, Caves Dom Teodósio, Adegas Camillo Alves, Caves Acácio, Caves Monteiros e Caves Moura Basto. Fui recebida pelo simpático Miguel Ramos, que me fez uma degustação de alguns vinhos (pois a linha é enorme).


Essa loja é em Bucelas - R. D. Afonso Henriques, 1.

 Parece um instrumento de tortura medieval, mas é um instrumento para abrir garrafas de vinho do Porto de safras antigas, em que a rolha provavelmente já está desgastada.

Aqui no Brasil os vinhos podem ser encontrados na Domno.

Ao lado da Enoport encontramos um Museu do Vinho, claro que fomos conhecer...



É muito legal, tem fotos do processo de produção do vinho e da sua importância à sociedade da época, é bem pequeno, mas bem interessante...



Olhem o que tinha no nosso caminho para chegar à Quinta do Pinto, um pastor de ovelhas, e suas ovelhas... 

Saindo de lá fui à Quinta do Pinto, uma vinícola familiar do século XVII, eram 15 famílias, com uma história de 300 anos. A propriedade estava abandonada e foi restaurada pela família e sua paixão pelos vinhos. Fui recebida pela simpática e amável Rita, que contou a história e me fez uma bela degustação. Eles fazem visitas com agendamento. Vocês podem comprar os vinhos com o pessoal da Asa Gourmet, Tel : (21) 9384-1284 ou 2287-7290. Fiz um pedido e fui muito bem atendida.






Os vinhos são muito bons, vale a pena conhecer...


E para finalizar bem o dia, fui conhecer a Quinta da Chocapalha, que possui enoturismo com agendamento. E seus vinhos podem ser encontrados na Adega Alentejana.
Também é uma vinícola antiga, do século XVI e familiar. A enóloga responsável é a Sandra Tavares (que faz parte da família, todos trabalham na vinícola).
Aliás tenho que ressaltar novamente, encontrei muitas mulheres enólogas em Portugal, algumas bem novas, senti muito orgulho pelo sucesso dos seus vinhos (que Sào muito bons).
As vinícolas que visitei nessa data fazem parte da Comissão Vitivinífera da Região de Lisboa, que me ajudou com os agendamentos.




Fui recebida pelos simpáticos e atenciosos Andrea Tavares da Silva e seu pai, que me contaram sua história, e fizeram a degustação dos seus belíssimos vinhos...
Apesar de ser uma vinícola antiga e familiar, seus processos de produção são muito modernos...



E para finalizar um dia fantástico fui à casa dos amigos Victor e Luizinha, e eles fizeram um risoto na Bimbi (é uma máquina que cozinha sozinha) e harmonizamos com alguns vinhos da Casca Wines...



terça-feira, 27 de maio de 2014

Bacalhau da Sandra Casa com Vinho Tinto Português???


Esse bacalhau minha cunhada Sandra fez na páscoa, como estava tão gostoso, é tão fácil de fazer e combina com esse friozinho, resolvi compartilhar...
Vou escrever a receita de acordo com o que vi ela fazendo.
Essa receita harmonizamos com um vinho tinto português delicioso Serras de Grândola, da vinícola A Serenada. Vejam a harmonização AQUI.

Bacalhau da Sandra

Ingredientes:
800g de Batata em rodelas de 1 dedo, cozidas al dente
1kg de Lombo de bacalhau, em postas, sem espinho, dessalgado
+- 1,5lts de Azeite
500g de Cebola em rodelas finas
500g de Pimentão vermelho, verde e amarelo em rodelas finas
200g de Tomate sem semente em tiras finas
200g de Azeitonas verdes
15g de Pimenta calabresa (cuidado, essa pimenta é forte)
Sal e pimenta do reino à gosto

Modo de Preparo:
1. Distribuir as batatas no fundo do refratário.
2. Colocar o bacalhau por cima e ir distribuindo os outros ingredientes por cima.
3. Espalhar a cebola, os pimentões, o tomate e as azeitonas.
4. Temperar com a pimenta calabresa, um pouco de sal e pimenta do reino.
5. Colocar o azeite até chegar à metade dos ingredientes.
6. Levar ao forno com papel alumínio à 180oC por 40 minutos, tirar o alumínio e deixar mais uns 20 minutos (Esses tempos são aproximados pois depende de forno para forno).
7. Se a batata estiver macia, e tudo levemente dourado, está bom.

Veja a harmonização AQUI

A grande polêmica: Bacalhau Casa com Vinho Tinto?


A grande polêmica: Bacalhau Casa com Vinho Tinto? Os portugueses garantem que sim, alguns profissionais acreditam que não. Quem está certo?
Na verdade, no mundo do vinho não existe certo ou errado, mas o que você gosta ou não. Claro que, algumas harmonização não são agradáveis, como: peixes harmonizados com vinhos tintos tânicos nos dão um gosto de metal na boca.
Mas como toda a regra tem excessão, se harmonizar alguns peixes com vinhos tintos leves e frutados (também depende do peixe e do método de preparo), mas pode ser uma boa combinação.
A receita você encontra no link abaixo.
Vinho: Serras de Grândola - Cepas Cinquentenárias
Prato: Bacalhau da Sandra (Veja a Receita)
         Castas: Baga, Camarate, Castelão, Bastardo (Vinha Cinquentenária)

         Safra: 2012
Vinícola: A Serenada
Álcool: 14°
País: Portugal (Península de Setúbal)

Análise do vinho:

Vinho tinto, cor rubi intensa, límpido, brilhante.
É um vinho com potência, mas com muita elegância. Apresenta aroma de frutas, com toques de mineralidade (dos solos de argila e xisto). Na boca é muito equilibrado, com tanino elegante, boa acidez. Possui corpo médio+, muito elegante e persistente.
A vinícola é muito interessante, possui uma pequena pousada com quatro quartos, muito aconchegante, biblioteca, sala para eventos, terraços e piscina. Vale a pena visitar: A Serenada. A produção é pequena, mas os vinhos fantásticos, elaborados com muita paixão, em uma região que está começando a despontar em Portugal: a Península de Setúbal.
Harmonização
Quando escolhi esse vinho para harmonizar com o bacalhau, me lembrava de sua estrutura com elegância (o que me chamou a atenção). Essa garrafa que harmonizamos estava com o tanino um pouco mais marcante, talvez se não aparecesse esse tanino, a harmonização seria perfeita. O corpo do vinho e o peso do prato se compatibilizaram muito bem. Suas frutas, e sua mineralidade combinaram com o peixe e os legumes que o acompanharam, até com o toque de pimenta. Apesar de estagiar em madeira, não se nota sua presença, e isso também contribui para a boa harmonização. Acredito que com uma carne leve a harmonização ficaria um pouco melhor, mas tirem suas conclusões e me contem...
Infelizmente esse vinho ainda não pode ser encontrado no Brasil. Na verdade, toda sua produção praticamente acaba sendo consumida na própria pousada...

 CASA COM VINHO

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Bacalhau à Brás (Bacalhau à Braz) Casa com Quinta da Aveleda - Vinho Verde


Em mais uma confraria deliciosa a amiga Jacinta nos presenteou com esse prato típico de Portugal: Bacalhau à Brás ou Bacalhau à Braz... Muito fácil de fazer e muito gostoso.

Bacalhau à Brás (Bacalhau à Braz)

Ingredientes:
400g de Bacalhau para desfiar ou desfiado
30ml de Azeite
600g de Cebola em rodelas finas
15g de Alho Brunoise
6 Ovos batidos com um pouco de sal e pimenta do reino
500g de Batata palha frita
1/2 maço de Salsa picada para decorar
Azeitonas pretas para decorar
Sal e pimenta do reino à gosto

Modo de Preparo:
1. Deixar o bacalhau de molho em água na geladeira por 48 horas, trocando a água por no mínimo 8 vezes durante esse período.
2. Escorrer. Colocar o bacalhau na água fervendo por 2 minutos. Escorrer. Tirar a pele e as espinhas, e desfiar em pedaços meio grandes.
3. Aquecer o azeite em uma panela e acrescentar a cebola e o alho. Refogar em fogo baixo até a cebola ficar macia.
4. Juntar o bacalhau e mexa por 3 minutos.
5. Bata um pouco os ovos temperado com um pouco de sal e de pimenta.
6. Ir despejando os ovos batidos aos poucos, mexendo sempre, para toda a mistura ficar cremosa.
7. Acrescentar a batata palha, mexer rapidamente.
8. Decorar com a salsa e com a azeitona. Servir.

Veja a harmonização AQUI

Quinta da Aveleda - Vinho Verde Casa com Bacalhau à Brás (Bacalhau à Braz)


Aqui estou colocando a harmonização que fizemos na última confraria de Vinho Verde com Bacalhau à Brás ou Bacalhau à Braz. O bacalhau estava delicioso, juntando às boas companhias e ao ótimo vinho, tem mais o que dizer???
Vinho: Quinta da Aveleda - Vinho Verde
Prato: Bacalhau à Brás (Bacalhau à Braz) (Veja a Receita)
         Castas: Loureiro, Trajadura e Arinto

         Safra: 2012
Vinícola: Aveleda
Álcool: 10°
País: Portugal (Vinhos Verdes - Minho)

Análise do vinho:

Vinho branco, cor leve verdeal, límpido, brilhante.
É um vinho muito fresco e leve, com aroma de frutas cítricas, notas de frutas tropicais como abacaxi. Excelente acidez, leve, fresco, não muito persistente. 
Se quiser conhecer a vinícola visite: Quinta da Aveleda
Harmonização
A harmonização do prato com o vinho ficou boa, apenas o vinho é um pouco ácido demais para esse prato, porém como o prato possui bastante gordura, a acidez do vinho vinho o paladar entre cada garfada, tornando a acidez um benefício. O prato tem um corpo médio por causa de sua gordura, e apesar do vinho ser leve, sua acidez acompanha bem o peso do prato. É um vinho de bom custo/benefício e um prato fácil de fazer, vale a pena testar...
CASA COM VINHO

Origem do Bacalhau à Brás ou Bacalhau à Braz



A história que encontramos diz que um taberneiro de nome Brás (ou Braz, como era escrito antigamente), que morava no Bairro Alto de Lisboa, misturou bacalhau desfiado, cebola, ovos e batata palha que estavam disponíveis e criou o prato.



sexta-feira, 23 de maio de 2014

Degustação de Vinhos Italianos na ABS/SP

Denominada as muitas faces da Toscana a ABS-SP lança uma degustação de vinhos italianos imperdível no próximo dia 28/05 às 20:00.


Uma das grandes regiões produtoras de vinhos da Itália, a Toscana, famosa por seu Chianti Classico, entre outros vinhos espetaculares produzidos na região. Conheça a Lenda do Galo Negro de Chianti.
A degustação começará por um dos brancos mais tradicionais da região, o Vernaccia di San Gimignano, que a origens remontam ao século XIII.
Além disso, será provado um exemplar de uma apelação não muito conhecida, mas muito interessante, o Morellino di Scansano, da região litorânea de Maremma.
Completando a degustação dois tintos excepcionais: um "supertoscano" e um Brunello di Montalcino. Para encerrar a degustação com chave de ouro: o Vin Santo, um vinho doce da região, que geralmente é acompanhado dos tradicionais "cantucci" (biscoitos de sabor amendoado que devem ser molhados no vinho.

*Alunos e associados poderão levar um convidado pelo valor de associados.
 
Os vinhos que serão degustados:

- Cesani - Vernaccia di San Gimignano 2011
- Barone Ricasoli - Chianti Clássico 2011
- Donatella Cinelli Colombini 2008
- D'Isanto & D'Isanto - I Balzini White 2008
- Poderi del Paradiso - Vin Santo 2006

*Vaga garantida somente mediante pagamento.

Observação: Para os associados, no ato da inscrição se o sistema acusar o valor de não associado, entrar em contato através do telefone (11) 3814-7853 ou do e-mail abs-sp@abs-sp.com.br.

A lenda do galo negro dos rótulos de Chianti...

A Itália exala cultura em cada local que visitamos, em algumas regiões isso é mais nítido, como em Florença, capital da Toscana, uma cidade das artes, da música, do vinho, da cultura.
Foi o centro da Itália no Renascentismo, onde viveram artistas de todo o país e do exterior. Alguns exemplos são: Dante Alighieri, Leonardo da Vinci, Michelangelo, entre outros.


A Lenda do galo:

Na época das lutas medievais (muito sangrentas na época) entre Florença e Siena para definir a posse da região do Chianti: os Senesi e os Fiorentini Tomaram uma decisão para resolver a questão de uma forma bem curiosa.
As duas cidades resolveram definir a fronteira por meio de uma prova entre dois cavalheiros: um Florença (com suas cores) e o outro de Siena (com suas cores). Os cavalheiros sairiam de sua cidade ao cantar do galo, e a fronteira Florença/Siena se definiria exatamente no ponto em que os cavalheiros se encontrassem, no meio do caminho das duas cidades.
Siena ficou com um galo branco, e o empanturrou de comida acreditando que o galo bem alimentado cantaria mais alto de madrugada. Mas os Fiorentinos, que ficaram com o galo preto, não o alimentaram durante a noite.
No dia seguinte, o galo de Florença (preto), despertou faminto e começou a cantar antes do nascer do sol, e o galo de Siena (branco), não despertou pois estava de barriga cheia.
Com o canto do galo preto, o cavalheiro de Florença começou a galopar imediatamente e o de Siena teve de esperar  até que o galo branco resolvesse cantar.
Assim, o resultado do combate pacífico, foi que os cavalheiros se encontraram há apenas 12 quilômetros dos muros de Siena, e a República de Florença conquistou grande parte da região do Chianti.


História da gastronomia e da viticultura...

Casa com Vinho...

Veuve Clicquot inova de novo...



Inspirada na alta costura para "vestir" sua garrafa, a Veuve Clicquot lança a coleção: VEUVE CLICQUOT ROSÉ COUTURE.
Uma coleção sob medida para o dia dos namorados. Com embalagens ousadas da Maison Veuve Clicquot – Couture Box e Kit Couture – chegaram ao Brasil com design arrojado, uma maneira elegante de presentear.


Criada na França a haute-couture se destaca pela arte de criar peças exclusivas e com qualidade incomparável.
Criada para reforçar a ligação entre a moda e champagne, internacionalmente reconhecida pela excelência na produção de seus champagnes, a Maison Veuve Clicquot desenvolveu um produto de qualidade superior.


quinta-feira, 22 de maio de 2014

Degustação de vinhos gratuita em Sorocaba

Acabei de receber o convite.
Hoje haverá uma degustação grátis e lançamento de dois novos vinhos da vinícola Dominio Del Plata (vinícola da famosa enóloga Susana Balbo).


Será na Maison Bertin às 17:00.

Vale a pena conhecer...

Não perca...


quarta-feira, 21 de maio de 2014

Vídeo do meu nono dia em Portugal 29_01_14

Abaixo um pequeno vídeo das minhas fotos do meu nono dia em Portugal, para vocês curtirem e viajarem junto...


Quer Degustar Vinhos Verdes em Sorocaba?

Conhece a região dos Vinhos Verdes de Portugal? Sabe Por que chama Vinhos Verdes? Ficou curioso? Não perca mais uma degustação na ABS/Sorocaba.


A Região dos Vinhos Verdes é a maior denominação de Portugal, com 34.000 hectares, dividida por milhares de pequenas parcelas, algumas vezes pouco maiores que pequenos quintais.
Situada no extremo Norte de Portugal, delimitada pelo rio Minho, até à cidade do Porto, e até as margens do rio Vouga.
É um vinho único no mundo. Vinho muito leve e fresco, produzido na Região Demarcada dos Vinhos Verdes, região bem localizada para a produção de excelentes vinhos brancos. Uma das principais castas é a Alvarinho.
É um vinho frutado, leve, fácil de beber, muito bom como aperitivo ou para harmonizar com refeições leves como: saladas, peixes, mariscos, carnes brancas, tapas, sushi, sashimi, entre outros.

SEMINÁRIO SOBRE VINHOS VERDES EM SOROCABA

DATA: 30/05/2014 ás 20:00 hs
LOCAL: SALÃO DE EVENTOS DO COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ
ENDEREÇO: RUA GUSTAVO TEIXEIRA 411
PALESTRANTE: Dr. MÁRIO TELLES JR (Presidente da ABS-SP), professor e grande conhecedor de vinhos.
INVESTIMENTO: R$30,00 para : associados da ABS, estudantes e profissionais do ramo
                                R$ 40,00 para não inclusos acima
                                    *******  até 28 /05/2004  *******
No local: R$50,00, na dependência de disponibilidade de vagas.

HAVERÁ ENTREGA DE CERTIFICADOS AOS PARTICIPANTES BEM COMO UM KIT COM MATERIAL DIDÁTICO

Não perca, vale a pena...

Nono Dia em Portugal 29_01_14

No meu nono dia em Portugal tive uma experiência incrível, conheci uma parreira em um local que não parece ser possível existir plantação de uva, daqui a pouco colocarei a foto para entenderem.

Para fazer as visitas na região de Lisboa, a Comissão Vitivinícola da Região de Lisboa -
Rua Cândido dos Reis, nº1 - Telef: (+351) 261 316 724, me ajudou a marcar as visitas e também reservou um hotel incrível, com um preço excelente.

Fiquei hospedada no Dolce Camporeal Lisbon - Hotels and Resorts (+351) 261 960 900, é um hotel um pouco afastado do centro, mas perto da estrada.

Essa é a vista da sacada do meu quarto



O hotel conta com piscina, golf, e muitas outras atividades. Vale a pena conhecer...

Enquanto eu esperava começou a chover granizo, nunca tinha visto uma chuva assim no inverno aqui no Brasil...



O moço da recepção me achou doida, fui tirar foto da chuva, e era uma porta automática que não fechava mais. Geralmente aqui o granizo acontece quando está muito calor, a chuva lá foi como a de verão, forte e rápida, mas era inverno.

Para a primeira visita fomos encontrar o enólogo Rui Freire - da Casca Wines, o Rui foi nos levar à vinha, levamos quase 40 minutos para encontrá-la... Na foto vocês entenderão...




 Essa é a parreira, claro que no inverno ela não produz uva...


Essa é uma areia igual de praia, o mar está bem próximo. Esse bambu é para conter o vento, que é imenso, e quando está produzindo as uvas são levantadas para não encostarem no chão e não apodrecerem (esse é um sistema antigo de produção).
Essas são parreiras centenárias pois na época em que a Filoxera devastou quase toda a região vinífera de Portugal e da Europa, essa região não foi atingida pelo tipo de terra e de terreno, a areia, que pela raiz ser bem profunda, chegando até as rochas, a Filoxera não consegue atacar.

A Casca Wines foi criada por dois amigos enólogos, intitulado: Projeto dos "Sem Terra". Eles resolveram criar uma marca e fazer vinhos em várias regiões de Portugal, com o mesmo nome. Na Revista de Vinhos vocês podem ver uma matéria sobre eles. Os vinhos vocês encontram na Tambuladeira.

Saindo de lá fomos para outra vinícola que me surpreendeu por dois motivos: o tamanho da produção e um Brasileiro me recebeu, o Rodrigo, é responsável pelo comercial e filho da dona da vinícola.
Caves Vidigal - (+351) 244 819 480. 
Nunca imaginei encontrar brasileiros produzindo vinhos em Portugal, foi inusitado.





Olhem o tamanho dos tanques...