quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Terceiro dia em Portugal - 23_01_14

Chegamos ao 3o. dia em Portugal, e fomos direto para a Herdade do Perdigão.




Fomos recebidos pela simpática Sandra Chaves - (+351) 245 578-135.
E começamos o dia com Espumantes muito interessantes...

Os vinhos dessa Herdade chegam ao Brasil através da Ana Import. São vinhos de estilo moderno.

Aqui um parênteses: existem diferenças entre Herdade e Quinta, com relação ao tamanho e ao estilo do terreno, se tem pequenas montanhas ou não.

Significado de Herdade
s.f. Grande propriedade rural, geralmente composta de montados, terras de semeadura e casa de habitação.

Quinta
Uma fazenda (português brasileiro) ou quinta (português europeu) ou machamba (português moçambicano), é um imóvel ou terreno básico para a prática da agricultura e da pecuária. Fazenda e herdade são também termos comuns para este tipo de terrenos.
A propriedade geralmente inclui diversas estruturas, com o objetivo primário de produção e gerenciamento de alimentos, como também de gado (veja também rancho). Fazendas podem ser dirigidas por simples indivíduos, famílias, ou comunidades, ou por corporações e companhias. Uma fazenda pode ser de uma fração de hectare até milhares de hectares.



Em seguida fomos para a Herdade da Figueira de Cima, mais conhecida por Gloria Reynolds. Monte Figueira de Cima 7340 ARRONCHES (Portugal) - Teléfono: (+34) 679 106 873
Email: club@gloriareynolds.com.
Os vinhos podem ser encontrados na Wine.
Com tradição familiar em vinhos como pode ser visto no site da empresa:
Pioneiros na indústria da cortiça, as sucessivas gerações da família Reynolds, de origem britânica, foram responsáveis pela implantação da casta Alicante Bouschet nas vinhas alentejanas e estiveram na origem de casas vinícolas famosas, como o Mouchão ou Quinta do Carmo. Para dar continuidade à tradição familiar, o empresário Julian Reynolds adquiriu em 1998 a Herdade da Figueira de Cima, situada em Arronches, no Alto Alentejo.



Essa é a pedra fundamental da Herdade.
Fomos recebidos pelo simpático enólogo Nelson Martins.

Após uma prova com uma explicação fascinante sobre como os vinhos foram produzidos com a personalidade dos membros da família, um jovem, um mais velho e uma senhora austera, fomos recebidos por uma acolhedora senhora com um almoço delicioso...


Muita história na produção de vinhos




Os queijos e enchidos portugueses...

Olha a cor do azeite deles, com rótulo Reynolds ou Figueira de Cima

Sopa de pedra

Borrego com batata

Arroz doce

Nós, Maria Amélia, o simpático Julian Reynolds que nos fez companhia durante o almoço, e a simpática senhora que nos serviu...

 Em seguida fomos para uma propriedade nova e moderna, administrada por jovens, e com uma proposta de vinhos inovadores.





Após provarmos vinhos dos tonéis, e provarmos na área externa, entramos...




E claro, fomos recebidos com mais comida... e vinhos...




Esses rótulos foram criados pela esposa do António, são duas andorinhas se beijando.


Deixamos nossas coisas no Hotel Már de Ar (Mar do Arqueduto) - Travessa da Palmeira, 4/6 - Évora - (+351) 266 739-300 - geral@mardearhotels.com
Um hotel moderno no centro de Évora.


E fomos ao famoso e tradicional restaurante Fialho, (esse senhor abaixo é o dono do restaurante), bem perto do hotel. 


Conhecemos o simpático Cláudio Martins (à esquerda) - diretor comercial da Granadeiro (vinhos de autor) ou Monte dos Perdigões - (+351) 266503-101 - comercial@granadeirovinhos.com

E adivinhem... Comemos e degustamos vinhos...

Pastel de massa tenra

Bolinho de bacalhau

Sopa de cação (juro que dividi a minha com a M. Amélia)

Bacalhau do Ucha

Cordeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe, comente, envie suas dúvidas ou dicas, sinta-se em Casa...